Práticas discursivas e formação de um campo ciêntifico: poder e (pré)conceitos no campo da genética

Conteúdo do artigo principal

Alketa Peci

Resumo

gene action; philanthropic foundations. Este artigo apresenta uma análise dos processos de formação de um campo científico a partir de referencial teórico baseado na obra de Foucault (fase arqueológica). Argumenta que a principal vantagem desta abordagem reside no fim das dicotomias e dualidades ¿ típicas do pensamento estrutural ¿ e na incorporação da dimensão do poder na análise dos processos formativos. Buscando demonstrar a circularidade existente entre os campos sociais, políticos e científicos, salienta a importância do discurso eugênico, das relações de classe e gênero, do poder econômico e ideológico na formação do campo científico da genética nos EUA do final do século XIX e início do XX. O papel das fundações filantrópicas, principais organizações presentes nesse campo de poder, é ressaltado. Paralelamente, o artigo destaca o poder da metáfora da ¿ação genética¿ não apenas em termos cognitivos, mas também em termos de legitimidade do novo campo científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Peci, A. (2003). Práticas discursivas e formação de um campo ciêntifico: poder e (pré)conceitos no campo da genética. Revista De Administração Pública, 37(3), 569 a 590. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/6731
Seção
Teorias de organização, além da modernidade

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5 > >>