O FIES contribui para a atratividade das carreiras de licenciaturas e da saúde?

Autores

  • Luís Henrique Romani de Campos Fundação Joaquim Nabuco
  • Isabel Pessoa de Arruda Raposo Fundação Joaquim Nabuco
  • Tayene Trajano de Moura Cedeplar - UFMG
  • Heitor Victor Veiga da Costa UFPE

Palavras-chave:

FIES, Cursos prioritários, Logit com dados empilhados.

Resumo

Esse artigo avalia o cumprimento das metas do FIES quanto ao ingresso de alunos em cursos de duas áreas prioritárias do Programa: saúde e educação/ensino. A estratégia de identificação se baseia numa mudança de regra do FIES ocorrida em 2009, que adotou uma expressiva redução na taxa de financiamento, de aproximadamente de 50%, e levou a uma homogeneização dos juros aplicados entre os cursos nas áreas de educação e ensino e os demais cursos. Estimativas de modelos logit com dados empilhados demonstram que tais mudanças levaram a um aumento na probabilidade de escolha dos cursos de saúde, na ordem de 32%, e uma redução de 46% nas chances de escolhas dos cursos de educação e ensino. Tais achados revelam que as alterações ocorridas no Programa foram eficazes para os cursos prioritários de saúde, mas geraram um desincentivo para aqueles da área de educação.

Biografia do Autor

Luís Henrique Romani de Campos, Fundação Joaquim Nabuco

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Maringá (1990), mestrado em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (2000) e doutorado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Atualmente é pesquisador titular e coordenador do Núcleo de Estudos em Estatísticas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco. Nesta Fundação atuou como Coordenador Geral de Estudos Econômicos e Populacionais (2009-2010) e Diretor de Pesquisas Sociais (2011-2015). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Regional, atuando principalmente nos seguintes temas: economia pernambucana, economia regional, arranjos produtivos locais, ensino superior. Publicou 19 artigos em periódicos especializados e 48 trabalhos em anais de eventos. Possui 1 livro publicado e 13 capítulos de livros. Orientou 4 dissertações de mestrado, 18 trabalhos de iniciação científica e 44 trabalhos de conclusão de curso na área de Economia. Coorientou 5 dissertações de mestrado e 1 tese de doutorado. Foi vencedor do XI Prêmio BNB de Economia Regional e do Prêmio Feneco de 2015.

Downloads

Publicado

2020-06-22

Edição

Seção

Artigos