Trabalho Remoto no Brasil

Autores

  • Fernando de Holanda Barbosa Filho FGV IBRE
  • Fernando Veloso FGV IBRE
  • Paulo Henrique Peruchetti FGV IBRE

Palavras-chave:

home office, remote work

Resumo

Este artigo estima o potencial de trabalho remoto no Brasil adaptando a metodologia de Dingel e Neiman (2020) para incluir uma infraestrutura mínima doméstica para poder se trabalhar em casa, que inclui acesso contínuo a energia elétrica, conexão de internet e pelo menos um microcomputador em casa. O artigo também analisa o uso efetivo do trabalho remoto no Brasil durante a pandemia da COVID-19. Os resultados mostram que o potencial do trabalho remoto no Brasil controlando pela necessidade de uma infraestrutura mínima é de somente 17,8%, bem abaixo do potencial estimado para países desenvolvidos. No entanto, o uso efetivo de trabalho remoto no Brasil atingiu um pico de somente 10,4% do total de ocupados durante a pandemia, significativamente abaixo do potencial estimado. Os dados mostram também a existência de grande heterogeneidade no potencial e uso de trabalho remoto entre regiões, estados e diferentes grupos socioeconômicos.

 

Downloads

Publicado

2023-02-06

Edição

Seção

Artigos