Participações do Estado em «empresas ligadas à defesa»

Autores

  • José Manuel Rolo

Palavras-chave:

Indústrias da defesa, Participações do Estado, EMPORDEF, Reestruturação empresarial, Privatização, Internacionalização

Resumo

Em 1996, foi criada a EMPORDEF, uma empresa «holding» totalmente controlada pelo Estado, onde foram agrupadas as participações do Estado no sector da Defesa. Até 2002, ano em que foi adoptado um Plano de Reestruturação das empresas, o grupo deu prejuízos consideráveis. Em 2003, graças, sobretudo, à assunção pelo Estado de uma dívida da OGMA à banca no valor de 132,6 milhões de Euros, os resultados do grupo melhoraram substancialmente. Em 2004, foi desencadeado o processo de privatização de cerca de dois terços do capital da OGMA, que deve coincidir com a entrada de um parceiro de referência na empresa. Previa-se, ainda, proceder à alienação das acções detidas pela EMPORDEF na SPEL e na NAVALROCHA; à conclusão dos processos de liquidação da INDEP e da SUBLOC; à continuação da reestruturação das restantes empresas do grupo; e à aquisição de uma participação de cerca de 30% no capital social dos ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO. Se tudo decorrer como previsto, a partir de 2005, o grupo EMPORDEF, apesar de conservar alguns problemas de estrutura e dimensão, poderá contar com pelo menos quatro empresas que estão preparadas para enfrentar a competição internacional.

Downloads

Publicado

2004-10-01

Como Citar

ROLO, J. M. Participações do Estado em «empresas ligadas à defesa». Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, Rio de Janeiro, RJ, v. 3, n. 4, p. 64–70, 2004. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/rbpg/article/view/79236. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Casos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)