Pensar a história em territórios cheios

a importância do conceito de biomas brasileiros

Autores

  • José Augusto Pádua Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Palavras-chave:

História ambiental; Territorialidade; Biomas; Florestas; Savanas.

Resumo

O artigo defende a importância do conceito de biomas brasileiros, tanto para a análise histórico-ambiental
quanto para o desenvolvimento da legislação e das políticas públicas voltadas para a conservação do mundo
natural. Além de discutir as linhas gerais da genealogia do conceito, argumenta que ele é especialmente útil para
visualizar a construção territorial do país como um todo, apresentando claros limites para uma análise regional
e microrregional minuciosa. A representação sintética dos biomas facilita a percepção sinóptica das regiões
ecológicas do Brasil. Tal percepção vai ao encontro da adoção de uma premissa metodológica básica da história
ambiental: a necessidade de investigar o movimento das sociedades humanas no contexto de territórios cheios
e coloridos pela diversidade de seres vivos e dinâmicas geológicas que existem concretamente nos diferentes
espaços do planeta. Ou seja, superar a simplificação apresentada por uma cartografia apenas política e centrada
exclusivamente na ação humana. O artigo analisa, por fim, alguns exemplos da rica historiografia já existente
sobre a história dos biomas, chamando a atenção para a importância de conhecer a produção que emerge no
âmbito das várias regiões do país, tanto nos espaços acadêmicos quanto nos da literatura em geral.

Biografia do Autor

José Augusto Pádua, Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Doutor em Ciência Política e Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro

Downloads

Publicado

2023-10-02

Edição

Seção

Colaboração Especial