O Brasil diante de um cenário mundial de investimentos, de tecnologias de vanguarda e de educação aberta e flexível: estamos dentro ou fora?

Autores

  • Susane Garrido FGV

Resumo

Temos tempo? Não creio. A educação no Brasil exige mudanças! A sociedade, unindo a informação e a tecnologia, congrega o poder de instituir mudanças em nosso planeta. O desenvolvimento sustentável em todas as áreas do viver é a chave para a sobrevivência das gerações com qualidade. Desnecessário é mencionar os jargões amplamente usados na educação, particularmente no Brasil, onde a educação se encontra em uma dimensão estagnada há séculos, sem qualquer desenvolvimento linear. As políticas voltadas à educação básica e à educação superior não foram atualizadas e, consequentemente, as instituições não promovem aplicações e atividades relevantes. No processo educacional, é um grande erro dissociar a educação superior da educação básica, uma vez que o processo compreende os mesmos alunos – só que em diferentes faixas etárias. Uma vez que temos acesso a importantes relatórios e práticas de referência, de fontes como Abed, Horizon e ICDE, por que não usarmos essas referências como orientação e mudarmos o panorama atual? Ou, talvez, por que não as replicamos aqui? Estático é o adjetivo que melhor define nosso paradigma educacional, seguido do pensamento linear e, atualmente, da ação conjunta e concomitante de todos os atores desse cenário. Por que, então, não reagimos?

Downloads

Publicado

2015-05-07

Edição

Seção

Artigos