Governança corporativa na Petrobras?

Conteúdo do artigo principal

Antonio Marcos Duarte Jr.

Resumo

Ao final do primeiro trimestre de 2011, a Petrobras ocupava a posição de quinta maior empresa do mundo, e terceira no setor de petróleo e gás, em capitalização de mercado. Ao final do primeiro trimestre de 2015, a Petrobras não figurava mais entre as cem empresas maiores do mundo, assim como entre as dez maiores do setor de petróleo e gás. Nesse período de quatro anos, várias notícias ruins atingiram a Petrobras. O evento mais impactante para a imagem da empresa iniciou-se no dia 17 de março de 2014 quando a Polícia Federal deflagrou a primeira fase da Operação Lava-Jato, que resultou na prisão de vários de seus ex--executivos. A estrutura de governança corporativa da empresa se provou adequada? Como alterá-la para proteger a companhia de interesses escusos e manipulação política?
O tema deste estudo de caso é particularmente interessante para disciplinas na grande área de finanças corporativas.

Detalhes do artigo

Seção
Casos
Biografia do Autor

Antonio Marcos Duarte Jr., UERJ & Ibmec/RJ

Possui graduação em Engenharia Civil e mestrado em Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1989), mestrado em Estatística pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (1989), mestrado e doutorado (Ph.D.) em Matemática Aplicada pela Princeton University (1993). Atualmente é Professor Adjunto do Ibmec Rio de Janeiro e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, além de consultor de bancos e empresas na área de gestão de riscos corporativos (mercado, crédito, operacional etc.). Tem vasta experiência prática no mercado financeiro brasileiro (Unibanco e Banco Pactual) e internacional (Rep. Corp. of New York), tendo atuado em áreas como gestão de riscos corporativos, private banking, asset management e pesquisa quantitativa, tendo chegado à posição de Diretor Executivo. Foi também o Diretor do Ibmec Rio de Janeiro por mais de seis anos, assim como da Global Association of Risk Professionals. Seus interesses acadêmicos estão nas áreas de Finanças e Controladoria, com foco nos seguintes temas: gestão de riscos, regulação, mercado de capitais, e métodos quantitativos aplicados ao mercado financeiro.