O não ser e o ser outro. Paulo Prado e seu Retrato do Brasil

Autores

  • Eliana de Freitas Dutra

Palavras-chave:

Identidade nacional

Resumo

Este artigo pretende realizar uma análise das representações sobre o Brasil e o homem brasileiro elaboradas por Paulo Prado no ensaio Retrato do Brasil, de 1928. Objetiva-se também discutir os desdobramentos políticos e culturais dessas representações e seus deslizamentos em direção ao debate contemporâneo ao autor em torno das identidades, e às definições do caráter e da identidade nacionais brasileiros Retrato do Brasil é um esforço de crítica das formas culturais que o Brasil teria herdado da experiência colonial, e uma reflexão sobre as possibilidades de superação dessa herança, vista como um entrave à modernidade, ao progresso moral e ao aperfeiçoamento político do país. Interessa-nos refletir sobre o impasse que acreditamos marcar as considerações do autor em torno da superação pretendida, dada a articulação que empreende entre cultura e identidade, bem como avaliar se o ensaio de Paulo Prado pode ser lido enquanto uma tentativa, entre outras empreendidas pela intelectualidade brasileira nos anos 1920 e 30, de construção de um paradigma do nacional no Brasil.

Downloads

Publicado

2000-12-01

Edição

Seção

Artigos