Os arquitetos do futuro. Os Estados Unidos

Autores

  • Carmen Lucia Tavares Felgueiras

Palavras-chave:

Narrativa

Resumo

Este trabalho apresenta uma interpretação do pensamento social de Monteiro Lobato e de Eduardo Prado, focalizando o modo como cada qual produziu, através de suas obras literárias, uma visão peculiar da sociedade norte-americana. Constituem elementos centrais da argumentação as noções de força e de espírito norte-americanos e seus significados para ambos os autores. No caso de Monteiro Lobato, a utilização da sociedade norte-americana como modelo tem como pressuposto básico a ausência de contradição entre a visão determinista e o voluntarismo lobatianos, o que se depreende de seu entendimento do progresso tanto como um processo inexorável quanto como fruto de uma decisão. Por outro lado, a presença de um segundo olhar sobre a América, já não marcado pela idéia de força, e sim pela de espírito, é a contraface do primeiro, e será através dele que Lobato irá se aproximar, ao amenizar seu voluntarismo, da concepção da sociedade norte-americana como produto de uma construção coletiva. Também fundada na noção de força, a concepção da América de Eduardo Prado possui um viés de interpretação historicista que imprime ambivalência na avaliação dessa força, positiva em suas origens, negativa no momento em que se refere à República norte-americana contemporânea, o que a torna incompatível, na qualidade de modelo, com uma ambicionada política nacionalista.

Downloads

Publicado

2001-08-16