As letras da cidade ou quando a literatura inventa o urbano – leitura e sensibilidade moderna na Curitiba da Primeira República

Autores

  • Clóvis Gruner CPDOC

Palavras-chave:

literatura, cidade, sensibilidade, modernidade

Resumo

Como outras cidades brasileiras do período, nos primeiros anos do século XX a capital paranaense, Curitiba, passa por um significativo processo de transformações, que afetam tanto sua esfera material quanto sócio-cultural. Uma gramática é construída para nominar esse novo universo: lazer, prazer, aventura, hedonismo; mas também individualismo, estranhamento, indiferença, multidão, insegurança, risco. A intenção deste artigo é apontar as diferentes maneiras de ler a modernização e a modernidade e suas representações pela produção dos discursos, em especial os literários. Entendemos que são eles, especialmente, os responsáveis pelo léxico que tenta representar as novas experiências, sociabilidades e sensibilidades urbanas.

Biografia do Autor

Clóvis Gruner, CPDOC

Clóvis Gruner é professor de História Contemporânea na Universidade Tuiuti do Paraná e doutorando em História na Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil (clovisgruner@terra.com.br).

Downloads

Publicado

2010-08-30