Poder e análise organizacional: elementos para uma crítica antiutilitarista

Conteúdo do artigo principal

Marcos Luís Procópio
Genauto Carvalho de França Filho

Resumo

Este estudo procura questionar como algumas concepções teóricas sobre o poder, presentes no campo dos estudos organizacionais, podem limitar a apreensão do fenômeno organizacional, devido à inevitável instrumentalização das relações sociais que elas presumem. Essas concepções são especialmente aquelas que atrelam o poder à capacidade estratégica do indivíduo (ou grupo) de realização de objetivos externos, às quais são identificadas neste estudo pelo rótulo de "poder utilitário". Partindo da premissa de que a teoria sobre o poder é um importante recurso para a atividade de pesquisa e reflexão acerca das organizações, este ensaio procura identificar outras concepções teóricas de poder, passíveis de aplicação na investigação organizacional, capazes de complementar aquelas que se baseiam na racionalidade instrumental. A metodologia escolhida se resume a um trabalho de revisão da literatura que envolve outros campos das ciências humanas, além do campo dos estudos organizacionais, como a sociologia, a ciência política e a filosofia. A aplicação dessas concepções "alternativas" sobre o poder na investigação das organizações visa possibilitar uma compreensão mais adequada da vida organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Procópio, M. L., & Filho, G. C. de F. (2005). Poder e análise organizacional: elementos para uma crítica antiutilitarista. Cadernos EBAPE.BR, 3(2). Recuperado de https://periodicos.fgv.br/cadernosebape/article/view/4914
Seção
Artigos