As diversidades da diversidade: revisão sistemática da produção científica brasileira sobre diversidade na administração (2001-2019)

Conteúdo do artigo principal

Aline Mendonça Fraga
https://orcid.org/0000-0002-4240-464X
Renato Koch Colomby
https://orcid.org/0000-0002-5013-6913
Catia Eli Gemelli
https://orcid.org/0000-0002-7163-0494
Vanessa Amaral Prestes
https://orcid.org/0000-0002-5192-310X

Resumo

Nas últimas décadas, a diversidade tem ganhado espaço, principalmente na discussão acadêmica dos estudos organizacionais e das relações de trabalho e gestão de pessoas. Se por um lado há reflexões críticas sobre desigualdade, diferença e preconceito, por outro também há considerável apelo discursivo acerca de práticas de gestão empresarial, atrelado às ideias de produtividade, criatividade e inovação. A multiplicidade da diversidade revela sua pluralidade teórica e empírica que toma caminhos diversos quando relacionada com as dinâmicas relações entre sociedades, organizações e pessoas. Este estudo tem como objetivo realizar uma revisão sistemática da produção científica brasileira sobre diversidade, nas publicações que fazem referência à área de administração, nas bases de dados Google Scholar, Web of Science (Wos), Spell e Scopus. Ao entender a diversidade como um debate do novo milênio, a escolha do período de análise compreendeu os anos de 2001 até 2019. Como principais resultados, destacam-se: i) a diversidade nas e das publicações; ii) a (in)definição e a abrangência do conceito; iii) a emergência e o crescimento do tema; iv) a incipiência de autoria e instituição de referência; v) a predominância de estudos qualitativos; vi) as (in)visibilidades de certos marcadores sociais em face da amplitude do conceito e do tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Fraga, A. M., Colomby, R. K., Gemelli, C. E., & Prestes, V. A. (2022). As diversidades da diversidade: revisão sistemática da produção científica brasileira sobre diversidade na administração (2001-2019). Cadernos EBAPE.BR, 20(1), 1–19. https://doi.org/10.1590/1679-395120200155
Seção
Artigos

Referências

Abebe, M., & Dadanlar, H. (2019). From tokens to key players: The influence of board gender and ethnic diversity on corporate discrimination lawsuits. Human Relations, 25, 1-29. Recuperado de https://doi.org/10.1177/0018726719888801

Akotirene, C. (2019). Interseccionalidade. São Paulo, SP: Pólen Produção Editorial Ltda.

Alegria, S. (2019). Escalator or step stool? Gendered labor and token processes in tech work. Gender & Society, 33(5), 722-745. Recuperado de https://doi.org/10.1177/0891243219835737

Alencar, W. C. (2016). Os direitos humanos no mundo do trabalho: raça e gênero nas organizações - um olhar sobre nós mesmos. Cadernos Zygmunt Bauman, 5(10), 82-102.

Alves, M. A., & Galeão-Silva, L. G. (2004). A crítica da gestão da diversidade nas organizações. Revista de Administração de Empresas, 44(3), 20-29. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902004000300003

Archambault, E., Campbell, D., Gingras, Y., & Larivière, V. (2009). Comparing bibliometric statistics obtained from the Web of Science and Scopus. Journal of the American society for information science and technology, 60(7), 1320-1326. Recuperado de https://doi.org/10.1002/asi.21062

Austin, R. D., & Pisano, G. P. (2017). Neurodiversity as a competitive advantage. Harvard Business Review, 95(3), 96-103.

Beckhauser, S. P. R., & Gomes, G. (2019). The impact of diversity on innovation in countries. Revista de Administração da UFSM, 12(5), 1013-1026. Recuperado de https://doi.org/10.5902/1983465926778

Benevides, T. M., & Castro, J. D. C. B. C. (2019). Os desafios enfrentados pelas mulheres pretas no mercado de trabalho em Salvador sob uma perspectiva interseccional. Revista Formadores – Vivências e Estudos, 12(7), 6-19.

Camargo, F. P., Tannhauser, C. L., Biegelmeyer, U. H., Camargo, M. E., Bernardi, F. C., & Craco, T. (2019). Relações de poder entre gêneros no ambiente organizacional: uma análise da representação feminina nas empresas de tecnologia da informação (TI) de Porto Alegre. Ciência da Informação em Revista, 6(2), 51-69. Recuperado de https://doi.org/10.28998/cirev.2019v6n2d

Campos, J. G. F., Vasconcellos, E. P. G., & Kruglianskas, G. (2013). Incluindo pessoas com deficiência na empresa: estudo de caso de uma multinacional brasileira. Revista de Administração (São Paulo), 48(3), 560-573. Recuperado de https://doi.org/10.5700/rausp1106

Campos, L. L., Lucas, A. C., & Fischer, A. L. (2011). Construção da identidade profissional de mulheres gestoras em empresas de médio e grande porte. Pensamento & Realidade, 26(2), 3-21.

Cappelle, M. C. A., & Melo, M. C. D. O. L. (2010). Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na Polícia Militar de Minas Gerais. Revista de Administração Mackenzie, 11(3), 71-99. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1678-69712010000300006

Caproni, H. L., Neto, Saraiva, L. A. S., & Bicalho, R. A. (2014). Diversidade sexual nas organizações: um estudo sobre coming out. Pensamento Contemporâneo em Administração, 8(1), 86-103. Recuperado de https://doi.org/10.12712/rpca.v8i1.316

Carrieri, A. P., Aguiar, A. R. C., & Diniz, A. P. R. (2013). Reflexões sobre o indivíduo desejante e o sofrimento no trabalho: o assédio moral, a violência simbólica e o movimento homossexual. Cadernos EBAPE.BR, 11(1), 165-180. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1679-39512013000100011

Carrieri, A. P., Souza, E. M., & Aguiar, A. R. C. (2014). Trabalho, violência e sexualidade: estudo de lésbicas, travestis e transexuais. Revista de Administração Contemporânea, 18(1), 78-95. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1415-65552014000100006

Carvalho-Freitas, M. N. (2009). Inserção e gestão do trabalho de pessoas com deficiência: um estudo de caso. Revista de Administração Contemporânea, 13(spe), 121-138. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1415-65552009000500009

Carvalho-Freitas, M. N., Silva, O. A., Tette, R. P. G., & Silva, C. V. (2017). Diversidade em contextos de trabalho: pluralismo teórico e questões conceituais. Revista Economia & Gestão, 17(48), 174-191. Recuperado de https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2017v17n48p174-191

Castro, B. L. G., Pezarico, G., & Bernartt, M. (2019). Diversidade e interculturalidade no contexto organizacional: o caso dos trabalhadores haitianos em Pato Branco (PR). Revista Eletrônica de Administração e Turismo, 13(1), 1829-1850. Recuperado de https://doi.org/10.15210/reat.v13i1.13817

Cordeiro, H. T. D., Freitag, B. B., Fischer, A. L., & Albuquerque, L. G. (2013). A questão das gerações no campo da gestão de pessoas: tema emergente? Revista de Carreiras e Pessoas, 3(2), 2-18. Recuperado de https://doi.org/10.20503/recape.v3i2.16531

Costa, L., Sampaio, J. D. O., & Flores, E. S. (2019). Diversidade de gênero nos conselhos administrativos e sua relação com desempenho e risco financeiro nas empresas familiares. Revista de Administração Contemporânea, 23(6), 721-738. Recuperado de https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2019180327

Dalpian, P. R. C., & Silveira, T. D. (2020). Locais de mercado, diversidade e exclusão interseccional. Cadernos EBAPE.BR, 18(2), 377-390. Recuperado de https://doi.org/10.1590/1679-395176026

Dani, A. C., Picolo, J. D., & Klann, R. C. (2019). Gender influence, social responsibility and governance in performance. Rausp Management Journal, 54(2), 154-177. Recuperado de https://doi.org/10.1108/RAUSP-07-2018-0041

Diniz, A. P. R., Carrieri, A. P., Gandra, G., & Bicalho, R. A. (2013). Políticas de diversidade nas organizações: as relações de trabalho comentadas por trabalhadores homossexuais. Revista Economia & Gestão, 13(31), 93-114. Recuperado de https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2013v13n31p93

Felix, B., Mello, A., & von Borell, D. (2018). Voices unspoken? Understanding how gay employees co-construct a climate of voice/ silence in organisations. The International Journal of Human Resource Management, 29(5), 805-828. Recuperado de https://doi.org/10.1080/09585192.2016.1255987

Ferreira, J. B., Sadoyama, A. S. P., Correia, A. F. C., & Gomes, P. A. T. D. P. (2015). Diversidade e gênero no contexto organizacional: um estudo bibliométrico. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 9(3), 45-66. Recuperado de https://doi.org/10.12712/rpca.v9i3.571

Ferreira, L. C. M., & Rais, L. A. (2016). What is the relationship between diversity and performance? A study about the relationship between the proportion of people with disabilities in the productivity of Brazilian firms. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 18(59), 108-124. Recuperado de https://doi.org/10.7819/rbgn.v18i59.2769

Figueiredo, M. D. (2015). Embodied prejudices: a study on diversity and practices. Equality, Diversity and Inclusion: An International Journal, 34(6), 527-538. Recuperado de https://doi.org/10.1108/EDI-04-2014-0029

Filippim, E. S., Schumarcher, M., & Alperstedt, G. D. (2018). A inserção de imigrantes haitianos em uma organização. Gestão e Sociedade, 12(31), 2067-2095. Recuperado de https://doi.org/10.21171/ges.v12i31.2188

Fleury, M. T. L. (2000). Gerenciando a diversidade cultural: experiências de empresas brasileiras. Revista de Administração de Empresas, 40(3), 18-25. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0034-75902000000300003

Fraga, A. M., Gemelli, C. E., & Rocha-de-Oliveira, S. (2019). Cenário das publicações científicas em carreira e gênero. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 13(3), 158-178. Recuperado de https://doi.org/10.12712/rpca.v13i3.27973

Fraga, J., & Silva, V. (2012). Diversidade no conselho de administração e desempenho da empresa: uma investigação empírica. Brazilian Business Review, 9, 58-80. Recuperado de http://dx.doi.org/10.15728/bbrconf.2012.3

Franco, D. S., Magalhães, A. F., Paiva, K. C. M., & Saraiva, L. A. S. (2017). Entre a inserção e a inclusão de minorias nas organizações: uma análise crítica sob o olhar de jovens trabalhadores. Economia e Gestão, 17(48), 43-61. Recuperado de https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2017v17n48p43-61

Freitas, M. E. (2017). Managing diversity in Brazil. In M. Özbilgin, & J. F. Chanlat (Eds.), Management and Diversity: Perspectives from Different National Contexts (pp. 113-158). Bingley, UK: Emerald Publishing Limited.

Geertz, C. (1999). Os usos da diversidade. Horizontes antropológicos, 5(10), 13-34. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0104-71831999000100002

Gemelli, C. E., Fraga, A. M., & Prestes, V. A. (2019). Produção científica em relações de trabalho e gestão de pessoas (2000/2017). Contextus – Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 10(2), 222-248. Recuperado de https://doi.org/10.19094/contextus.v17i2.41214

Gomes, N. L. (2012). Desigualdades e diversidade na educação. Educação & Sociedade, 33(120), 687-693. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0101-73302012000300002

Hanashiro, D. M. M., & Carvalho, S. G. (2005). Diversidade cultural: panorama atual e reflexões para a realidade brasileira. Revista Eletrônica de Administração, 11(5), 1-21.

Henderson, P. A., Ferreira, M. A., & Dutra, J. S. (2016). As barreiras para a ascensão da mulher a posições hierárquicas: um estudo sob a óptica da gestão da diversidade no Brasil. Revista de Administração da UFSM, 9(3), 489-505. Recuperado de https://doi.org/10.5902/198346598208

Irigaray, H. A. R., & Freitas, M. E. (2013). Estratégia de sobrevivência dos gays no ambiente de trabalho. Revista Psicologia Política, 13(26), 75-92.

Irigaray, H. A. R., & Vergara, S. C. (2011). O tempo como dimensão de pesquisa sobre uma política de diversidade e relações de trabalho. Cadernos EBAPE.BR, 9(4), 1085-1098. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1679-39512011000400009

Jabbour, C. J. C., & Santos, F. C. A. (2008). The central role of human resource management in the search for sustainable organizations. The International Journal of Human Resource Management, 19(12), 2133- 2154. Recuperado de https://doi.org/10.1080/09585190802479389

Kochhnann, S. C., & Rodrigues, G. O. (2016). Gestão da diversidade: questão social emergente ou dignidade humana? Revista Espaço Acadêmico, 16(182), 1-11.

Krzeminska, A., Austin, R. D., Bruyère, S. M., & Hedley, D. (2019). The advantages and challenges of neurodiversity employment in organizations. Journal of Management & Organization, 25(4), 453- 463. Recuperado de https://doi.org/10.1017/jmo.2019.58

Lazzaretti, K., Piekas, A. A. S., & Julkovski, D. J. (2019). Características dos conselhos de Administração e desempenho das firmas brasileiras de capital aberto. Revista Gestão Organizacional, 12(3), 54-71. Recuperado de https://doi.org/10.22277/rgo.v12i3.5197

Leão, A. C. (2015). Breves notas à conferência “A cidadania: a construção da identidade e os desafios da diversidade”. Interacções, 11(36), 34-46. Recuperado de https://doi.org/10.25755/int.7247

Leão, M. A. B. G., & Silva, L. S. (2012). Vivências de trabalhadores com deficiência: uma análise à luz da psicodinâmica do trabalho. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37(125), 159-169. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0303-76572012000100019

Lima, N. P. O, & Gomes, A. S., Filho. (2019) Mulheres empreendedoras no Brasil: um estudo bibliográfico/Entrepreneuring women in Brazil: a bibliographic study. Revista de Psicologia, 13(48), 821-830. Recuperado de https://doi.org/10.14295/idonline.v13i48.2208

Loiacono, E. T., & Ren, H. (2018). Building a neurodiverse high-tech workforce. MIS Quarterly Executive, 17(4), 263-279. Recuperado de https://doi.org/10.17705/2msqe.00001

Lucena, S. C., & Santos, C. V. C. (2019). Diversidade e mercado de trabalho no Brasil. Revista Jurídica Trabalho e Desenvolvimento Humano, 2(2), 136-156. Recuperado de https://doi.org/10.33239/rtdh.v2i2.60

Machado, C., Jr., Bazanini, R., & Mantovani, D. M. N. (2018). The myth of racial democracy in the labour market: a critical analysis of the participation of afro-descendants in brazilian companies. Organizações & Sociedade, 25(87), 632-655. Recuperado de https://doi.org/10.1590/1984-9250875

Marques D. S., Moreira, T. P., & Lima, T. C. B. (2017). Um olhar sobre a experiência de inclusão de pessoas com deficiência que trabalham em uma Universidade Pública. Revista Economia & Gestão, 17(48), 119-140. Recuperado de https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2017v17n48p119-140

Martín-Martín, A., Orduna-Malea, E., Thelwall, M., & López- Cózar, E. D. (2018). Google Scholar, Web of Science, and Scopus: a systematic comparison of citations in 252 subject categories. Journal of Informetrics, 12(4), 1160-1177. Recuperado de https://doi.org/10.1016/j.joi.2018.09.002

Martinez, V. P. R. (2016). Mais vale parecê-lo que sê-lo? A impressão, o diálogo e a diversidade para gestores de inovação. Gestão & Regionalidade, 32(96), 135-150. Recuperado de https://doi.org/10.13037/gr.vol32n96.3567

Mazur, B. (2010). Cultural diversity in organisational theory and practice. Journal of Intercultural Management, 2(2), 5-15.

Mendonça, A. P. A., Aragão, C. A. S., Bastos, E. M., & Del Vecchio, R. C. (2019). Orientação sexual e inclusão nas organizações com diversidade cultural. Hegemonia, 28, 101-120. Recuperado de https://doi.org/10.47695/hegemonia.vi28.298

Michetti, M. (2017). O discurso da diversidade no universo corporativo: “institutos” empresariais de cultura e a conversão de capital econômico em poder político. Contemporânea – Revista de Sociologia da Ufscar, 7(1), 119-146. Recuperado de http://dx.doi.org/10.4322/2316-1329.029

Mongeon, P., & Paul-Hus, A. (2016). The journal coverage of Web of Science and Scopus: a comparative analysis. Scientometrics, 106(1), 213-228. Recuperado de https://doi.org/10.1007/s11192-015-1765-5

Myers, A. (2003). O valor da diversidade racial nas empresas. Estudos afro-asiáticos, 25(3), 483-515. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0101-546X2003000300005

Nkomo, S. M., & Cox, T. C., Jr. (1999). Diversidade e identidade nas organizações. In S. R. Clegg, C. Hardy, & W. R. Nord (Orgs.), Handbook de Estudos Organizacionais (Vol. 1, pp. 334-360). São Paulo, SP: Editora Atlas.

Nkomo, S. M., Roberts, L. M., Bell, M. P., Joshi, A., & Thatcher, S. M. (2019). Diversity at a critical juncture: new theories for a complex phenomenon. Academy of Management Review, 44(3), 498-517. Recuperado de https://doi.org/10.5465/amr.2019.0103

Nóbrega, B. A., Santos, J. N., & Jesus, G. A. (2014). Um estudo da relação entre diversidade, criatividade e competitividade em organizações brasileiras. Revista de Ciências da Administração, 16(3), 194-209. Recuperado de https://doi.org/10.5007/2175-8077.2014v16n39p194

Oliveira, A. B. (2012). A determinância dos fatores sócio-históricos em suas subjetivações na gestão de profissionais com deficiência nas organizações. Revista Economia & Gestão, 12(30), 82-102. Recuperado de https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2012v12n30p79

Oliveira, J. S., Pereira, J. A., & Souza, M. C. D. D. (2013). Empreendedorismo, cultura e diversidade: a participação dos empreendedores negros nas atividades empreendedoras no Brasil no período de 1990 a 2008. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 11(2), 7-30. Recuperado de https://doi.org/10.19094/contextus.v11i2.32161

Palmatier, R. W., Houston, M. B., & Hulland, J. (2018). Review articles: Purpose, process, and structure. Journal of the Academy of Marketing Science, 46(1), 1-5. Recuperado de https://doi.org/10.1007/s11747-017-0563-4

Paniza, M. D. R., & Cassandre, M. P. (2018). Tudo muda para quem? O discurso da revista Exame sobre diversidade na reportagem de capa “Chefe, eu sou gay”. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, 7(2), 119-141.

Pereira, J. C., Lima, E. M. C., Ortiz, M. R. C., Silva, T. A., Silva, T. N., & Rosiano, Y. P. A. (2012). Gestão da diversidade e a intenção de compra do consumidor. Revista de Administração da Unimep, 10(2), 81-100.

Pinheiro, J. L. A., & Gois, J. B. H. (2013). Amplitude da gestão da(s) diversidade(s): implicações organizacionais e sociais. Revista de Carreiras e Pessoas, 3(2), 72-90. Recuperado de https://doi.org/10.20503/recape.v3i2.16535

Pompeu, S. L. E., & Souza, E. M. D. (2019). A discriminação homofóbica por meio do humor: naturalização e manutenção da heteronormatividade no contexto organizacional. Organizações & Sociedade, 26(91), 645- 664. Recuperado de https://doi.org/10.1590/1984-9260912

Pompeu, S. L. E., & Rohm, R. H. D. (2018). Gerenciamento da identidade e estratégias de enfrentamento da discriminação no trabalho usadas por mulheres homossexuais. Revista Adm. Made, 22(3), 1-21. Recuperado de https://doi.org/10.21714/2237-51392018v22n3p001021

Puente-Palacios, K. E., Seidl, J., & Silva, R. A. D. (2008). Ser ou parecer diferente: o papel da diversidade na satisfação de equipes de trabalho. Revista Psicologia – Organizações e Trabalho, 8(2), 79-97.

Ramos, F., Souza, S. O., & Wehrle, A. F. (2016). Cultura organizacional: um estudo de caso a partir da perspectiva dos gestores da empresa EQS Engenharia. Revista Administração em Diálogo, 18(2), 92-123. Recuperado de https://doi.org/10.20946/rad.v18i2.20098

Rosa, A. R. (2014). Relações raciais e estudos organizacionais no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 18(3), 240-260. Recuperado de https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20141085

Santos, H. (2019). Gestão da diversidade, identidade e racialização: duas gerações de profissionais negros(as) no mundo empresarial. Contemporânea – Revista de Sociologia da Ufscar, 9(2), 693-700. Recuperado de http://dx.doi.org/10.4322/2316-1329.109

Santos, N. S., Silva, L. F. M., & Cassandre, M. P. (2017). Quem disse, Berenice, que ser gay é ser um bom vendedor de lojas de shopping? Revista de Carreiras e Pessoas, 7(3), 2237-1427. Recuperado de https://doi.org/10.20503/recape.v7i3.32513

Saraiva, L. A. S., & Irigaray, H. A. D. R. (2009). Políticas de diversidade nas organizações: uma questão de discurso? Revista de Administração de Empresas, 49(3), 337-348. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0034-75902009000300008

Schmiliver, A. L., Teixeira, M. S., Brandão, M. D., Andrade, V. D., & Jucá, M. N. (2019). A presença de mulheres cria valor às empresas? Revista Pretexto, 20(3), 83-97. Recuperado de https://doi.org/10.21714/pretexto.v20i3.6700

Schröeder, C. S. (2020). A diversidade invisível: as pessoas AH/SD e a vida profissional (Livro 1. Primeiros olhares). São Paulo, SP: Amazon Publishing (Independently published).

Silva, A., Bastos, G. M. F., Lima, T. C. B., Ferraz, S. F. S., & Cabral, A. C. A. (2013). Sentido do trabalho e diversidade: um estudo com homossexuais masculinos. Revista Adm.Made, 17(2), 85-105.

Silva, E. D. J. F. (2019). Racismo nas empresas: até quando? Farol – Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, 6(15), 399-415. Recuperado de https://doi.org/10.25113/farol.v6i15.5430

Silva, P. M. M., & Vasconcelos, C. R. M. (2019). Diversidade cultural no contexto organizacional. Comunicação & Informação, 22, 1-14. Recuperado de https://doi.org/10.5216/ci.v22i0.55133

Sobral, F., & Bisseling, D. (2012). Exploring the black box in Brazilian work groups: a study of diversity, conflict and performance. Brazilian Administration Review, 9(2), 127-146. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1807-76922012000200002

Souza, E. M., Silva, A. R. L., & Carrieri, A. P. (2012). Uma análise sobre as políticas de diversidade promovidas por bancos. Psicologia & Sociedade, 24(2), 315-326. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0102-71822012000200009

Teixeira, G. L., & Porém, M. E. (2019). Travestis e organizações: o papel da comunicação na construção de espaços organizacionais. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, 13(2), 301-313. Recuperado de https://doi.org/10.29397/reciis.v13i2.1704

Vasconcelos, A. F. (2016). Organizations workforce demographic age preferences: multiple case-studies from Brazil. The Journal of Management Development, 35(3), 406-427. Recuperado de https://doi.org/10.1108/JMD-08-2015-0111

Veronese, M. V., Gaiger, L. I., & Ferrarini, A. V. (2017). Sobre a diversidade de formatos e atores sociais no campo da economia solidária. Caderno CRH, 30(79), 89-104. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0103-49792017000100006

Yadav, S., & Lenka, U. (2020). Diversity management: a systematic review. Equality, Diversity and Inclusion: An International Journal, 29(8), 901-929. Recuperado de https://doi.org/10.1108/EDI-07-2019-0197

Zoltowski, A. P. C., Costa, A. B., Teixeira, M. A. P., & Koller, S. H. (2014). Qualidade metodológica das revisões sistemáticas em periódicos de psicologia brasileiros. Psicologia – Teoria e Pesquisa, 30(1), 97-104. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0102-7722014000100012