Do espírito do capitalismo ao espírito empreendedor: a consolidação das ideias acerca da prática empreendedora numa abordagem histórico-materialista

Conteúdo do artigo principal

Janaynna de Moura Ferraz
https://orcid.org/0000-0003-3668-4195
Deise Luiza da Silva Ferraz
https://orcid.org/0000-0002-4267-8261

Resumo

Objetiva-se perscrutar o deslocamento do espírito capitalista à ideologia do empreendedorismo mediante uma abordagem histórico-materialista, em busca de apreender a realidade com base em suas contradições ontogenéticas e em seu desenvolvimento social. Trata-se de ensaio teórico cuja análise parte da lacuna nas “abordagens críticas no empreendedorismo”, contribuindo para o aprofundamento da crítica à prática empreendedora, situando-a diante do estágio de desenvolvimento das forças produtivas em seu percurso histórico, e não apenas circunscrita ao realismo capitalista que delimita a ação humana ao agir de modo individualista, concorrencial ou liberal. Entre as conclusões, salientamos que o espírito do capitalismo corresponde ao movimento de expansão do capital, enquanto o empreendedorismo é a versão ideológica desse espírito hodiernamente, necessitando de um sistema de ideias que o coloque em movimento, dada sua efetividade como meio para subordinação e pauperização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Ferraz, J. de M., & Ferraz, D. L. da S. (2022). Do espírito do capitalismo ao espírito empreendedor: a consolidação das ideias acerca da prática empreendedora numa abordagem histórico-materialista. Cadernos EBAPE.BR, 20(1), 105–117. https://doi.org/10.1590/1679-395120200246
Seção
Artigos

Referências

Antunes, R. (2018). O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo, SP: Boitempo.

Autio, E., & Fu, K. (2015). Economic and political institutions and entry into formal and informal entrepreneurship. Asia Pacific Journal of Management, 32(1), 67-94.

Barros, A. A., & Pereira, C. M. M. A. (2008). Empreendedorismo e crescimento econômico: uma análise empírica. Revista de Administração Contemporânea, 12(4), 975-993.

Bittar, F. S. O., Bastos, L. T., & Moreira, V. L. (2014). Reflexões sobre o empreendedorismo: uma análise crítica na perspectiva da economia das organizações. Revista de Administração da UFSM, 7(1), 65-80.

Boehm, C. (2020, January 27). Moradores de favelas movimentam R$ 119,8 bilhões por ano. Agência Brasil. Recuperado de https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-01/moradores-de-favelas-movimentam-r-1198-bilhoes-por-ano

Boltanski, L., & Chiapello, È. (2009). O novo espírito do capitalismo. São Paulo, SP: WMF Martins Fontes.

Campos, A., & Soeiro, J. (2016). A falácia do empreendedorismo. Lisboa, Portugal: Bertrand.

Carmo, L. J. O., Assis, L. B., Gomes, A. B., Jr., & Teixeira, M. B. M. (2020). O empreendedorismo como uma ideologia neoliberal. Cadernos EBAPE.BR, 19(1), 18-31.

Contador, J. L., Contador, J. C., Oliveira, P. P., & Sátyro, W. C. (2019). Empreendedorismo, inovação e crescimento nos diferentes tipos de pequena empresa. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 13(4), 17-35.

Corrêa, V. S., Vale, G. M. V., Melo, P. L. R., & Cruz, M. A. (2020). O “problema da imersão” nos estudos do empreendedorismo: uma proposição teórica. Revista de Administração Contemporânea, 24(3), 232-244.

Costa, A. M., Barros, D. F., & Martins, P. E. M. (2008). Linguagem, relações de poder e o mundo do trabalho: a construção discursiva do conceito de empreendedorismo. Revista de Administração Pública, 42(5), 995-1018.

Damião, D. R. R., Santos, D. F. L., & Oliveira, L. J. (2013). A ideologia do empreendedorismo no Brasil sob a perspectiva econômica e jurídica. Ciências Sociais Aplicadas em Revista, 13(25), 191-207.

Dardot, P., & Laval, C. (2017). A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo, SP: Boitempo.

Druck, G. (2021). A tragédia neoliberal, a pandemia e o lugar do trabalho. O Social em Questão, 1(49), 11-34.

Drucker, P. (2002). Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. São Paulo, SP: Pioneira.

Ésther, A. B. (2019). A política de identidade do empreendedorismo: uma análise na perspectiva da sociologia figuracional e da psicologia social crítica. Cadernos EBAPE.BR, 17(esp.), 857-870.

Ferraz, J. M. (2020). A noção de sucesso na sociedade capitalista: entre o mérito e a impessoalidade no trabalho. Scribes – Brazilian Journal of Management and Secretarial Studies, 1(2), 69-89.

Ferraz, J. M. (2021). Para além da prática empreendedora no capitalismo brasileiro. São Paulo, SP: Actual.

Ferreira, M. P. V., Pinto, C. F., & Miranda, R. M. (2015). Três décadas de pesquisa em empreendedorismo: uma revisão dos principais periódicos internacionais de empreendedorismo. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 21(2), 406-436.

Filardi, F., Barros, F. D., & Fischmann, A. (2018). Business strategies for the bottom of the pyramid: multiple case studies of large companies in the pacified communities of Rio de Janeiro. Rausp Management Journal, 53(1), 63-73.

Fisher, M. (2020). Realismo capitalista: é mais fácil imaginar o fim do mundo do que fim do capitalismo? São Paulo, SP: Autonomia Literária.

Fontenele, R. E. S. (2010). Empreendedorismo, competitividade e crescimento econômico: evidências empíricas. Revista de Administração Contemporânea, 14(6), 1094-1112.

Food and Agriculture Organization of the United Nations, International Fund for Agricultural Development, United Nations Children’s Emergency Fund, World Food Programme, & World Health Organization. (2018). The state of food security and nutrition in the world 2017: building resilience for peace and food security. Rome, Italy: FAO. Recuperado de http://www.fao.org/3/a-I7695e.pdf

Franco, D. S., & Ferraz, D. L. S. (2019). Uberização do trabalho e acumulação capitalista. Cadernos EBAPE.BR, 17(esp.), 844-856.

Global Entrepreneurship Monitor. (2019). Empreendedorismo no Brasil 2018: relatório executivo. Curitiba, PR: IBQP.

Griffiths, M. D., Gundry, L. K., & Kickul, J. R. (2013). The socio-political, economic, and cultural determinants of social entrepreneurship activity: an empirical examination. Journal of Small Business and Enterprise Development, 20(2), 341-357.

Hisrich, R. D., Peters, M. P., & Shepherd, D. A. (2014). Empreendedorismo (9a ed.). Porto Alegre, RS: Amgh Editora.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Rio de Janeiro, RJ: Autor.

López-Ruiz, O. (2007). Os executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo: capital humano e empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro, RJ: Azougue.

Lukács, G. (1959). El asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. Buenos Aires, Argentina: Fondo de Cultura Económica.

Marx, K. (2010). Sobre a questão judaica. São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K. (2011). O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K. (2013). O capital: crítica da economia política (Livro 1: o processo de produção do capital). São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K. (2014). O capital: crítica da economia política (Livro 2: o processo de circulação do capital). São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K. (2015). Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K. (2017). O capital: crítica da economia política (Livro 3: o processo global da produção capitalista). São Paulo, SP: Boitempo.

Marx, K., & Engels, F. (2007). A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. São Paulo, SP: Boitempo.

Naudé, W. (2011). Entrepreneurship is not a binding constraint on growth and development in the poorest countries. World Development, 39(1), 33-44.

Oliveira, X. L. C., Cabanne, C. S. M., & Teixeira, R. M. (2020). Metodologias qualitativas de pesquisa em empreendedorismo: revisão de estudos nacionais publicados de 2010 a 20151. Revista da Micro e Pequena Empresa, 14(1), 3-36.

Paiva, F. G., Jr., Almeida, S., & Guerra, J. R. F. (2008). O empreendedor humanizado como uma alternativa ao empresário bem-sucedido: um novo conceito em empreendedorismo, inspirado no filme Beleza Americana. Revista de Administração Mackenzie, 9(8), 112-134.

Paula, J. A., Cerqueira, H. E. A. G, & Alburquerque, E. (2000). Teoria econômica, empresários e metamorfoses na empresa industrial. Belo Horizonte, MG: Cedeplar/UFMG.

Pio, J. G. (2020). Effects of innovation and social capital on economic growth: empirical evidence for the Brazilian case. International Journal of Innovation, 8(1), 40-58.

Rattner, H. (2004, dezembro). Empreendedorismo e capitalismo “tardio”. Revista Espaço Acadêmico, 43.

Rodrigues, G. (2020). Menos30 Fest: confira na íntegra a palestra Favela é Bilhão, com Gilson Rodrigues. Recuperado de https://youtu.be/6_mJm4sc5CU

Sandoval, M. (2020). Entrepreneurial activism? Platform cooperativism between subversion and co-optation. Critical Sociology, 46(6), 801-817.

Schumpeter, J. A. (1997). Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico (Coleção Os Economistas). São Paulo, SP: Nova Cultural.

Serafim, M., & Feuerschütte, S. G. (2015). Movido pelo transcendente: a religiosidade como estímulo ao “espírito empreendedor”. Cadernos EBAPE.BR, 13(1), 165-182.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (2020). Sobrevivência das empresas no Brasil. Brasília, DF: Sebrae.

Smith, A. (1982) The theory of moral sentiments. Indiana, Indianapolis: Liberty Fund.

Souza, E. C. L., & Lopez, G. S., Jr. (2011). Empreendedorismo e desenvolvimento: uma relação em aberto. Innovation and Management Review, 8(3), 120-140.

Stel, A. van, Carree, M., & Thurik, R. (2005). The effect of entrepreneurial activity on national economic growth. Small Business Economics, 24(3), 311-321.

Streeck, W. (2019). Tempo comprado: a crise adiada do capitalismo democrático. São Paulo, SP: Boitempo.

Vinhas, V. Q., & Lopes, A. L. S. V. (2021). Fique em casa, a Casa Porto entrega: empreendedorismo humanizado na pandemia. Revista de Administração Contemporânea, 25(spe.), 1-15.

Wadhwani, R. D. (2010). Historical reasoning and the development of entrepreneurship theory. In H. Landstrom, & F. Lohrke (Eds.), Historical foundations of entrepreneurial research (pp. 343-380). Cheltenham, Northampton: Edward Elgar.

Weber, M. (2004). A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo, SP: Companhia das Letras.