O programa farmácia popular: alcance e limites como alternativa de acesso a medicamentos essenciais

Conteúdo do artigo principal

Silvia Rebouças Pereira de Almeida
Maura Pardini Bicudo Véras

Resumo

Tendo como premissa que o Estado brasileiro reconhece o direito à saúde como uma das garantias de cidadania, o presente artigo analisa o Programa Farmácia Popular do Brasil, implantado em 2004, como política pública de acesso a medicamentos. Avaliou-se o programa com base em pesquisa documental, bibliográfica e entrevistas com atores-chave, para identificar seus alcances e limites. Ao objetivar a distribuição de medicamentos essenciais para o tratamento de doenças crônicas não transmissíveis, o programa apresentou algumas vantagens na eficiência logística, garantindo a disponibilidade de medicamentos, facilidade de acesso às farmácias conveniadas, mas denotou que os usuários do sistema público de saúde, que deveriam estar utilizando a assistência farmacêutica pública convencional, que distribui gratuitamente remédios à população, necessitavam de outra forma de atendimento, por causa das deficiências nessa assistência pública. Embora o programa tenha sido considerado importante como alternativa, foram sugeridas melhorias operacionais e estratégicas para que este se torne mais efetivo no acesso aos remédios pela população brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
DE ALMEIDA, S. R. P.; VÉRAS, M. P. B. O programa farmácia popular: alcance e limites como alternativa de acesso a medicamentos essenciais. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, v. 22, n. 72, 2017. DOI: 10.12660/cgpc.v22n72.64639. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/cgpc/article/view/64639. Acesso em: 19 maio. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Silvia Rebouças Pereira de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Ex-aluna da graduação em Administracao de Empresas pela FGV; Mestre em Administração e Planejamento pela PUC-SP e Doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP. Leciono na Universidade Mackenzie, na graduação do curso de Sistemas de Informação da Faculdade de Computação e Informática.

Maura Pardini Bicudo Véras, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

MAURA PARDINI BICUDO VÉRAS, DOUTORA E LIVRE DOCENTE EM CIÊNCIAS SOCIAIS, PROFESSORA TITULAR DE SOCIOLOGIA DA PUCSP E PESQUISADORA BOLSISTA PRODUTIVIDADE DO CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO-CNPQ.