Poesia e cordel no Campo de Públicas: Aprendizados de uma pesquisa interdisciplinar

Conteúdo do artigo principal

Ives Romero Tavares do Nascimento
https://orcid.org/0000-0002-3314-6618
Edmilson José dos Santos Júnior

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar num ensaio e em formato de cordel os aprendizados de uma pesquisa interdisciplinar e em curso para o Campo de Públicas no que toca à análise do processo político-institucional das novíssimas universidades federais brasileiras (Universidade Federal do Cariri, Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Federal do Oeste da Bahia e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará) no ano de 2013. O percurso metodológico seguido foi a realização de
estudos de caso para cada universidade analisada. Os resultados preliminares permitem agrupá-los em quatro grupos: a visão de território pautada na unidade social, a consideração das necessidades locais como oportunidade, a ação sociocêntrica destinada à contextualização da educação e a pluralidade de atores sociais na busca pela universalização da universidade. O texto do cordel,
em si, é apresentado como os resultados deste trabalho, que manifestam esse tipo de produção textual e científica como criativas e inovadoras formas de se criar e divulgar conhecimento científico, multi ou interdisciplinar, próprio ao Campo de Públicas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
NASCIMENTO, I. R. T. do; SANTOS JÚNIOR, E. J. dos. Poesia e cordel no Campo de Públicas: Aprendizados de uma pesquisa interdisciplinar. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, v. 28, p. e88030, 2023. DOI: 10.12660/cgpc.v28.88030. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/cgpc/article/view/88030. Acesso em: 14 abr. 2024.
Seção
Fórum: Campo de Públicas no Brasil: avanços e perspectivas no ensino, na pesquisa e na extensão

Referências

Anjos, L. C. M. D., Silva, D. J. C., Ribeiro Filho, J. F., & Lopes, J. E. G. (2011). Contabilidade e o imaginário popular: contando versos na literatura de cordel. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 16(3), 31-45. https://doi.org/10.12979/rcmccuerj.v16i3.5420

Barreto Filho, O. (2019). O processo de elaboração e de implantação do projeto da Universidade Federal do Sul da Bahia: impactos sobre a cultura regional 2013-2018. (Tese de doutorado em Cultura e Sociedade, Universidade Federal da Bahia, Salvador). https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/29283/1/Tese_OsvaldoBarreto_VF_ParaDeposito%20DEFINITIVA.pdf

Boava, D. L. T., Macedo, F. M. F., & Sette, R. S. (2020). Contribuições do ensaio teórico para os estudos organizacionais. Revista Administração em Diálogo, 22(2), 69-90. https://doi.org/10.23925/2178-0080.2020v22i2.41951 DOI: https://doi.org/10.23925/2178-0080.2020v22i2.41951

Boullosa, R. de F. (2019). Mirando ao revés as políticas públicas: o desenvolvimento de uma abordagem crítica e reflexiva para o estudo das políticas públicas. Publicações da Escola da AGU, 11(4 esp.), 89-105. http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/Publ-Esc-AGU_v.11_n.04.pdf

Boullosa, R. de F., Peres, J. L. P., & Bessa, L. F. M. (2021). Into the field: a reflexive narration of critical policy studies. Organizações & Sociedade, 28(97), 306-332. https://doi.org/10.1590/1984-92302021v28n9704PT DOI: https://doi.org/10.1590/1984-92302021v28n9704en

Chacon, S. S. (2007). O sertanejo e o caminho das águas: políticas públicas, modernidade e sustentabilidade no semi-árido. BNB.

Clemente, A. J., Oliveira, M. F. R., Horochovski, R. R., Junckes, I. J., & Azevedo, N. T. (2022). Campo de públicas: uma cientometria a partir de projetos pedagógicos de curso. Revista de Sociologia Política, 30(6), 2-24. https://doi.org/10.1590/1678-98732230e006 DOI: https://doi.org/10.1590/1678-98732230e006

Coelho, F. de S., Almeida, L. de S. B., Midlej, S., Schommer, P. C., & Teixeira, M. A. C. (2020). O campo de públicas após a instituição das diretrizes curriculares nacionais (DCNs) de administração pública: trajetória e desafios correntes (2015-2020). Administração: Ensino E Pesquisa, 21(3), 488-529. https://doi.org/10.13058/raep.2020.v21n3.1897 DOI: https://doi.org/10.13058/raep.2020.v21n3.1897

Eisenhardt, K. M. (1989). Building theories from case study research. Academy of Management Review, 14(4), 532-550. https://doi.org/10.2307/258557 DOI: https://doi.org/10.5465/amr.1989.4308385

Farah, M. F. S. (2018). Institucionalização do campo de administração pública no Brasil: reflexões sobre o passado e desafios do futuro. Revista NAU Social, 9(17), 76-91. https://doi.org/10.9771/ns.v9i17.31431 DOI: https://doi.org/10.9771/ns.v9i17.31431

Fischer, T., Davel, E., Vergara, S., & Ghadiri, P. D. (2007). Razão e sensibilidade no ensino de administração: a literatura como recurso estético. Revista de Administração Pública, 41(5), 935-958. https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6613 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-76122007000500007

Fonseca, M. G. C. (2021). Cordel brasileiro: materialidades da voz e do corpo em performance. Animus, 20(42), 97-113. https://doi.org/10.5902/2175497743932 DOI: https://doi.org/10.5902/2175497743932

Gonçalves, S. F. C., & Oliveira, V. C. da S. (2016). A constituição do movimento campo de públicas a partir da percepção de integrantes graduados em Administração. Administração Pública e Gestão Social, 8(4), 202-211. https://doi.org/10.21118/apgs.v8i4.4910 DOI: https://doi.org/10.21118/apgs.v1i4.1038

Gumiero, R. G. (2019). Avaliação da Expansão do Reuni UFGD no Mato Grosso do Sul. Interações, 20(4), 989-1003. https://doi.org/10.20435/inter.v20i4.2028 DOI: https://doi.org/10.20435/inter.v20i4.2028

Lara, L. G. A., & Vizeu, F. (2019). (Re)Pensando o “ensaio como forma” no campo de estudos organizacionais. Anais do XLIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil.

Meneghetti, F. K. (2011). What is a theoretical essay? Journal of Contemporary Administration, 15(2), 320-332. https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010 DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010

Minayo, M. C. S. (2010). Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In M. C. S. Minayo & S. F. D. R. Gomes (Eds.). Pesquisa Social: teoria, métodos e criatividade (pp. 79-107. 29ª ed. Petrópolis: Vozes.

Ministério da Cultura (MinC). (2018). Literatura de cordel: dossiê de registro. Brasília: MinC. http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Dossie_Descritivo(1).pdf

Ministério da Educação (MEC). (2014). A democratização e expansão da educação superior no país 2003–2014. Brasil: MEC. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16762-balanco-social-sesu-2003-2014&category_slug=dezembro-2014-pdf&Itemid=30192

Moraes, A. C. de. (2021). Formação docente e literatura de cordel em oficinas didático-investigativas. Revista GEARTE, 8(2), 509-526. https://doi.org/10.22456/2357-9854.117515 DOI: https://doi.org/10.22456/2357-9854.117515

Nascimento, I. R. T. (2018). A expansão da educação superior como estratégia de desenvolvimento territorial: o caso da Universidade Federal do Cariri. (Tese de doutorado em Administração, Núcleo de Pós-Graduação em Administração, Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Brasil). https://repositorio.ufba.br/handle/ri/29325

Nascimento, I. R. T., Silva, H. A. S., & Pereira, V. S. (2019). Análise da ação de atores sociais no processo de implementação de políticas públicas: uma proposta de aplicação da metodologia da arena de atores. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, 6(2), 63-77. http://recc.cra-pr.org.br/index.php/recc/article/view/201/137

Pires, V., & Horochovski, R. (2021). O novo campo de públicas e o Brasil de hoje. Gestus: Caderno de Administração e Gestão, 1, 73-76. https://doi.org/10.5380/gestus.v1i0.80994 DOI: https://doi.org/10.5380/gestus.v1i0.80994

Pires, V., Silva, S. A. M., Fonseca, S. A., Vendramini, P., & Coelho, F. S. (2014). Campo de públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais. Administração Pública e Gestão Social, 6(3), 110-126. https://doi.org/10.21118/apgs.v6i3.4650 DOI: https://doi.org/10.21118/apgs.v6i3.719

Saquet, M. A. (2014). Território. In R. F. Boullosa (Ed.). Dicionário para a formação em Gestão Social (pp. 176-179). CIAGS/UFBA.