A injustificável taxa básica de juros brasileira e a captura do Banco Central pelo mercado financeiro

Conteúdo do artigo principal

Mauricio Martinelli Luperi
https://orcid.org/0009-0007-1969-0098

Resumo

Se observamos as discussões sobre a alta taxa de juros SELIC nos dias de hoje, perceberemos que a crítica a manutenção de um patamar tão elevado dessa taxa no Brasil ganha corpo em relação à momentos históricos anteriores.  Isso ocorre porque o mundo atual apresenta características específicas, como um alto nível de inflação, que provém de um choque de petróleo e de um pós-período pandêmico. Dentro desse contexto, a inflação brasileira se apresentou menor e em queda em relação a muitas economias avançadas, como, por exemplo, os EUA. E mesmo assim nosso Banco Central brasileiro manteve uma taxa de juros real de aproximadamente 9%. É importante destacar que por trás da manutenção dessa taxa se encontra a opção do país em crescer com poupança externa definida pelo professor Luiz Carlos Bresser-Pereira e que encontra amparo em grupos de interesse que se unem em torno de um ganho rentista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
LUPERI, M. M. A injustificável taxa básica de juros brasileira e a captura do Banco Central pelo mercado financeiro. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, v. 29, p. e90286 , 2024. DOI: 10.12660/cgpc.v29.90286. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/cgpc/article/view/90286. Acesso em: 19 jul. 2024.
Seção
Fórum: Res-publica/Gestão Pública, Nação e Desenvolvimento Econômico na Vida e Obra de Luiz Carlos Bresser-Pereira

Referências

Boskin, M. J., Dulberger, R. J., Gordon, G. Z., & Jorgenson, D. W. (1998). Consumer prices, The Consumer Price Index, and the cost of living. Journal of Economic Perspective, 12(1), 3-26. https://doi.org/10.1257/jep.12.1.3

Bresser-Pereira, L. C. (1977). Estudos Cebrap n.14, outubro 1975: 35-77. Integra o livro Estado e Subdesenvolvimento Industrializado para o qual foi escrito. Revue Tiers Monde, XVIII(68), outubro 1976. https://pesquisa-eaesp.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/arquivos/bresser_-_economiasubdesenvolvimentoindustrializado.pdf

Bresser-Pereira, L. C. (2022, abril-junho). Quase estagnação no Brasil e o novo desenvolvimentismo. Brazilian Journal of Political Economy, 42(2). https://doi.org/10.1590/0101-31572022-3328

Bresser-Pereira, L. C. Novo Desenvolvimentismo: Um segundo momento do estruturalismo latino-americano. https://orcid.org/0000-0001-8679-0557

Bresser-Pereira, L. C., & Gala, P. (2005, maio 23). Crítica ao crescimento com poupança externa. Trabalho apresentado em seminário na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas. Versão atualizada em 9 de novembro de 2005. https://bresserpereira.centrodeeconomiapolitica.org/papers/2005/05.7.CriticaCrescPoupancaWEB.pdf

Diewert, W. E. (1998). Index number lssues in the consumer price index. Journal of Economic Perspectives, 12(1), 47-58. https://doi.org/10.1257/jep.12.1.47

Furtado, C. (2005). Formação econômica do Brasil (32a ed.). Companhia Editora Nacional.

Nakamura, A. O., Diewert, W. E., Greenlees, J., Nakamura, L. I., & Reinsdorf, M. B. (2014). Sourcing substitution and related price index biases. SSRN Electronic Journal.

Rossiter, J. (2005). Measurement bias in the Canadian consumer price index. SSRN Electronic Journal.

Unayama, T. (2008). Measuring the substitution bias in Japan: The demand system approach and a superlative index. Applied Economics, 40(14), 1795-1806. https://doi.org/10.1080/00036840600905209

Wynne, M. A., & Sigalla, F. D. (1994). The consumer price index. Economic Review – Second Quarter – Dallas Fed. https://www.researchgate.net/profile/Mark-Wynne-3/publication/5029912_The_consumer_price_index/links/00b7d51f136c8a46a3000000/The-consumer-price-index.pdf