“Sobrevivendo no Inferno”:

o racismo no Brasil por Lélia Gonzalez e os Racionais MC's

Autores

  • Erica Paula de Vasconcelos dos Santos Vasconcelos Universidade Federal da Integração Latino-Americana-UNILA

Palavras-chave:

Racismo;, Raça;, Racionais MC's;, Corpos negros;, Amefricanidade.

Resumo

O presente artigo pretende analisar o álbum musical Sobrevivendo no Inferno (1997) do grupo Racionais MC's, sendo uma das grandes obras-primas da música popular brasileira, apontando os principais pontos de convergência com os termos sociológicos verneinung e amefricanidade apontados Lélia Gonzalez. Para promover uma  discussão  sobre a raça como um dispositivo recriado por entrevias do passado e do presente e o racismo legitimado contra  os  corpos  negros, bem como, suas raízes na atual da sociedade brasileira. Para tanto, foi utilizada como principal base teórica: Lélia Gonzalez (2021), Racionais MC’s (2018), Beatriz Nascimento (2016), Achille Mbembe (2018) e Du Bois (1925).

Referências

ALMEIDA, Sílvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Editora Jandaíra-Coleção Feminismo Plurais (Selo Sueli Carneiro), 2020.

ANIEVAS, Alexander, MANCHANDA, Nivi, SHILLIAM, Robbie. Confronting the global colour line: an introduction. In. ANIEVAS, Alexander, MANCHANDA, Nivi, SHILLIAM, Robbie. (Org). Race and racism in international relations: confronting the global colour line. Nova York: Third Avenue, 2015.

AGUIAR, Márcio Mucedula. “A construção das hierarquias sociais: classe, raça, gênero e etnicidade. Cadernos de Pesquisa do CDHIS, Mato Grosso, v. 37, n. 22, p. 83-88, 2007.

BEZERRA, Gustavo A. G., SALGADO, Pedro, YAMATO, Roberto V. Escravismo atlântico no século XIX: a construção do “internacional” no mar. Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD. Mato Grosso, v. 8, n. 15, p. 424-457, 2018.

BENTO, Cida. O pacto da branquitude. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

BOAS, Franz. Antropologia cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

CALVI, Pedro. Mulheres negras, vereadoras, deputadas e prefeitas: vidas ameaçadas pelo machismo e pelo racismo. Câmara dos deputados, Brasília, ano 20, n. 57, dez. 2020. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cdhm/noticias/mulheres-negras-vereadoras-deputadas-e-prefeitas-vidas-ameacadas-pelo-machismo-e-pelo-racismo Acesso em: 01 fev. 2023.

CHAKRABARTY, D. Provincializing Europe: Postcolonial Thought and Historical Difference. Oxford: Princeton University Press, 2008.

DU BOIS, W.E.B. As Almas da Gente Negra. Rio de Janeiro: Lacerda, 1999.

DU BOIS, Web. Worlds of Color. Published Council. New York: Foreign Affairs, v. 3, n. 3, p. 423-444, 1925.

FREITAS JR, Renato A. Prisões e quebradas: o campo em evidência. 2017. Dissertação (Mestrado em Direito) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

FLAUZINA, Ana Luiza Pinheiro. Corpo Negro caído no chão: o sistema penal e o projeto genocida do Estado brasileiro. Rio de Janeiro: BRADO, 2019.

FLAUZINA, A. L. P. As fronteiras raciais do genocídio. Direito.UnB - Revista de Direito da Universidade de Brasília, v. 1, n. 1, p. 119–146, 2014.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2001

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano. Ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2021

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 92, n. 93, p. 69-82, 1988.

GONZALEZ, Lélia. A democracia racial: uma militância. Arte & Ensaios, n. 38, 2019. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/27925/15208. Acesso em 25 jul. 2023.

GONZALEZ, Lélia. Primavera para as rosas negras: Lélia Gonzalez em primeira pessoa. São Paulo: Diáspora Africana, 2018.

GONZALEZ, Lélia. A mulher negra na sociedade brasileira. In: MADEL, T. Luz. (Org.) O lugar da mulher: estudos sobre a condição feminina na sociedade atual. Rio de Janeiro: Edição Graal, 1982.

GILROY, Paul. O Atlântico Negro. Modernidade e dupla consciência. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

HENDERSON, Errol. Hidden in plain sight: racism in international relations theory. 2013. Journal Cambridge Review of International Affairs, Londres, v. 26, feb. 2013. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09557571.2012.710585?needAccess=true&journalCode=ccam20. Acesso em 01/02/2023

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil 500 anos: territórios brasileiro e povoamento. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, Rio de Janeiro, v.1, n. 2. p. 94, 2018.

LACERDA, J. B. Sobre os mestiços no Brasil. Primeiro Congresso Universal das Raças, Londres, ano 1911, n. 1, p.12, 26 jul. 1911. Disponível em: http://moodle.stoa.usp.br/file.php/967/Sobre_os_mesticos_do_Brasil.pdf. Acesso em: 25 jul. 2023.

LORDE, Audre. Sister Outsider: Essays and Speeches. New York: Crossing. 1984.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção e política da morte. São Paulo: Editora nª 1, 2018.

MEHTA, Brinda J. Diasporic (Dis)locations: indo-Caribbean Women Writers Negotiate the Kala Pani. Jamaica: Kingston-University of the West Indies, 2009.

NASCIMENTO, Beatriz. Maria Beatriz Nascimento- Pesquisadora, 29 anos. In: COSTA, Haroldo (Org). Fala, Crioulo: o que é ser negro no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1982.

NASCIMENTO, Beatriz. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. Org: Alex Ratts. Imprensa oficial: São Paulo, 2006.

OMI, Michael, WINANT, Howard. Racial Formation in the United States: From the 1960s to the 1990s. New York and London: Routledge, 1994.

PONTE, Carolina Moura. PM confunde guarda-chuva com fuzil e mata garçom no Rio. Jornal El País, Espanha, v. 17, 19 sept. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/19/politica/1537367458_048104.html. Acesso em 01 fev. /2023.

QUEIROZ, Marcos, CAVALCANTE, Jordhanna. Rap como teoria social: Racionais Mc 's, criminologia e crítica radical. Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais- IBCCRIM, São Paulo, ano 2022, n. 346, 22 ago. 2022. Disponível em: https://sumarios.org/artigo/rap-como-teoria-social-racionais-mc%E2%80%99s-criminologia-e-cr%C3%ADtica-radical. Acesso em: 01 fev. 2023.

RACIONAIS MC’s. Sobrevivendo no inferno. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

RACIONAIS MC 's (es). Diário do detento. In. RACIONAIS MC 's (es). Álbum Sobrevivendo no Inferno (1997). Disponível em: https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nCuXekVx1ic-SlzebMW_QYyhbKe-W5KqI. Acesso em 28/01/2023

RACIONAIS MC 's (es). Periferia é periferia. In. RACIONAIS MC 's (es). Álbum Sobrevivendo no Inferno (1997). Disponível em: https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nCuXekVx1ic-SlzebMW_QYyhbKe-W5KqI. Acesso em 28/01/2023

RACIONAIS MC 's (es). A vida é um desafio. In. RACIONAIS MC 's (es). Álbum Nada Como Um Dia Após O Outro Dia (2002). Disponível em: https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nCuXekVx1ic-SlzebMW_QYyhbKe-W5KqI. Acesso em 28/01/2023

RACIONAIS MC 's (es). Capítulo 4 versículo 3 do álbum Sobrevivendo no Inferno (1997). In. RACIONAIS MC 's (es). Álbum Sobrevivendo no Inferno (1997). Disponível em: https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nCuXekVx1ic-SlzebMW_QYyhbKe-W5KqI. Acesso em 28/01/2023

RAMOS, Alberto Guerreiro, GARCIA, Evaldo da Silva. Problemas econômicos e sociais do Brasil. Rio de Janeiro: Departamento Nacional da Criança, 1949.

RAGHAVAN, Anjana. Towards corporeal cosmopolitanism: performing decolonial solidarities: Nova York: Rowman & Littlefield International, 2017.

SANTOS, Karine Cristina dos. Regime Internacional de Combate à Discriminação Racial: avanços e limites da questão racial nas relações internacionais institucionalizadas. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2021.

SOUZA, Vanderlei Sebastião de. Por uma nação eugênica: higiene, raça e identidade nacional no movimento eugênico brasileiro dos anos 1910 e 1920. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 146-166, 2008.

THOMPSON, Debra. Through, against, and beyond the racial state – The transnational stratum of race. Journal Cambridge Review of International Affairs, Reino Unido, n. 26, v. 1, p. 133-151, 2015.

WELLE, Deutsche. George Floyd disse mais de 20 vezes que não conseguia respirar, revela transcrição. Globo Noticias- G1, São Paulo, 9 jul. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/07/09/george-floyd-disse-mais-de-20-vezes-que-nao-conseguia-respirar-revela-transcricao.ghtml. Acesso em: 28/01/2023.

Downloads

Publicado

21.12.2023

Edição

Seção

Artigo Livre