Fintechs socioambientais: modelos para a inclusão financeira no Brasil

Conteúdo do artigo principal

Veronica Park
Érica Souza Siqueira
https://orcid.org/0000-0003-4280-6320

Resumo

O presente trabalho foi publicado nos anais do congresso 34º Encontro Nacional dos Cursos
de Graduação em Administração (ENANGRAD).


Essa pesquisa se insere no campo de estudo em Administração de Empresas, especificamente no de Tecnologia da Informação e Comunicação para o Desenvolvimento, o qual recebe a sigla de ICT4D (Heeks, 2020), que busca se concentrar no tema da inclusão
financeira. Dessa forma, com o intuito de explorar sobre o tema Fintechs socioambientais e seus modelos para a inclusão financeira no Brasil, o objetivo da pesquisa foi analisar como as Fintechs Sociais brasileiras, enquanto organizações híbridas, atendem a sua missão de inclusão financeira baseada em seus modelos, estratégias e lógicas de negócios. A revisão de literatura sobre o tema foi feita nos oito periódicos listados no Senior Scholars’ Basket of Journals. Frente a visão metodológica no trabalho de iniciação científica foi utilizada a qualitativa, com fundamento em levantamento de dados secundários relacionados a dez Fintechs Sociais brasileiras e complementados por duas entrevistas on-line semiestruturadas com CEOs de duas dessas Fintechs, durante os meses maio e junho de 2023. Desse modo, foi possível, como resultado da pesquisa, propor quatro pilares para a estruturação de um modelo de negócio de Fintechs Sociais. Este trabalho contribui para o entendimento dessas novas organizações, analisando e entendendo o contexto do surgimento de Fintechs Sociais, produtos e serviços ofertados para cada tipo de clientes e, portanto, os seus modelos de negócio para a inclusão financeira e social.

Detalhes do artigo

Seção
PIBIC - Administração de Empresas