Uma avaliação do Índice de Gestão Descentralizada do Programa Bolsa Família

Conteúdo do artigo principal

Fábio Resende de Araújo
Maria Arlete Duarte de Araújo
Fabia Jaiany Viana de Souza
Diego Fiel Santos
Murilo Barreto Santana

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar a relação entre o número de famílias participantes do Programa Bolsa Família (PBF) nos municípios do Nordeste e os indicadores de avaliação do PBF — os subcomponentes do Fator de Operação do Índice de Gestão Descentralizada (GD). Utilizou-se o coeficiente de Correlação de Pearson com dados de 1.705 municípios. As correlações com significância estatística foram entre Número de Famílias do PBF e todos os subcomponentes do IGD, entre IGD saúde e os demais subcomponentes do IGD e entre o IGD educação e a Atualização de Cadastro. A conclusão é de que maior número de famílias beneficiárias do PBF leva a um decréscimo dos seus indicadores de monitoramento, o que aponta para as fragilidades de gestão nos municípios e coloca um enorme desafio para a articulação do PBF com outras ações importantes como a saúde e a educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Araújo, F. R. de, Araújo, M. A. D. de, Souza, F. J. V. de, Santos, D. F., & Santana, M. B. (2015). Uma avaliação do Índice de Gestão Descentralizada do Programa Bolsa Família. Revista De Administração Pública, 49(2), 367 a 394. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/46652
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)