Satisfação no trabalho e rotatividade dos médicos do Programa de Saúde da Família

Conteúdo do artigo principal

Claudia Valentina de Arruda Campos
Ana Maria Malik

Resumo

Um dos problemas mais graves identificados na implantação do Programa de Saúde da Família no Brasil é a rotatividade do médico generalista. Já que o modelo se fun- damenta no vínculo entre profissionais da equipe e população, a alta rotatividade dos médicos pode comprometer a efetividade do modelo. Pesquisa realizada no município de São Paulo para verificar a existência de correlação entre satisfação no trabalho dos médicos do programa e a rotatividade desses profissionais confirmou a hipótese da existência de correlação negativa. O prestígio da instituição parceira do município na implantação do programa foi o fator mais importante na determinação da rotatividade dos médicos. Outros fatores de satisfação no trabalho que apresentaram correlação com a rotatividade foram: capacitação, distância das unidades de saúde e disponibilidade de materiais e equipamentos para realização das atividades profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Campos, C. V. de A., & Malik, A. M. (2008). Satisfação no trabalho e rotatividade dos médicos do Programa de Saúde da Família. Revista De Administração Pública, 42(2), 347 a 368. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/6636
Seção
Artigos