Relacionamentos interpessoais e emoções nas organizações: uma visão biológica

Conteúdo do artigo principal

Sérgio Proença Leitão
Graziela Fortunato
Angilberto Sabino de Freitas

Resumo

Este artigo questiona o tratamento dado pela teoria organizacional aos relacionamentos interpessoais, por sua forma dominantemente racionalista, instrumental e prescritiva e apenas parcialmente integrada ao seu elemento central: a emoção. Sugere uma nova linha de pesquisa para desenvolver uma teoria substantiva sobre relacionamentos intra e interorganizacionais centrada na emoção do amor, conforme seu conceito biológico. E propõe que a investigação tome como referência a experiência do projeto de economia de comunhão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Leitão, S. P., Fortunato, G., & Freitas, A. S. de. (2006). Relacionamentos interpessoais e emoções nas organizações: uma visão biológica. Revista De Administração Pública, 40(5), 883 a 908. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/6863
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>