Teletrabalho: subjugação e construção de subjetividades

Conteúdo do artigo principal

Isabel de Sá Affonso da Costa

Resumo

Este artigo apresenta resultados de pesquisa de tese que buscou contribuir para o entendimento do teletrabalho, abordando-o da perspectiva teórica do poder/ saber. Trata-se de entender o teletrabalho como discurso que subjuga os indiví- duos, mas que, ao mesmo tempo, constrói novos sujeitos e subjetividades. A pesquisa investigou esse processo de assujeitamento, explorando como os tele- trabalhadores fazem sentido da experiência do teletrabalho, pela análise de suas práticas discursivas. Para isso, foram realizadas entrevistas abertas com 25 teletrabalhadores em arranjo de home office, residentes na cidade do Rio de Janeiro. Todos os entrevistados mantêm vínculo empregatício com as empresas para as quais teletrabalham e desenvolvem tarefas que podem ser caracteriza- das como intensivas em conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Costa, I. de S. A. da. (2007). Teletrabalho: subjugação e construção de subjetividades. Revista De Administração Pública, 41(1), 105 a 124. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/6882
Seção
Artigos