“Da basílica à feira... do oásis ao Shoppingleu”: a trajetória das metáforas do Jubileu em Congonhas (MG)

Conteúdo do artigo principal

Thiago Duarte Pimentel
Alexandre de Pádua Carrieri
Mariana Pereira Chaves Pimentel
Mozar José de Brito

Resumo

Partindo da agenda de pesquisa em metáfora organizacional defendida por Cornelissene outros (2008), este trabalho visa explorar a relação entre a elaboração demetáforas e a identidade dos espaços, físico e simbólico, a partir das propostas deanálise da identidade do espaço e da análise das embodied metaphors. Para tanto, fezseuma síntese do desenvolvimento do tema até chegar na atual agenda de pesquisa. Aanálise do discurso serviu para a análise do corpus de 22 entrevistas semiestruturadasrealizadas numa feira de um evento religioso em Congonhas (MG). Foram obtidostrês grupos de metáforas relacionadas a três espaços distintos, cada um deles comseu traço distintivo e sua característica identitária própria. Pode-se observar queos elementos materiais, além de serem indexadores por excelência da produção desentidos metafórica, cumprem um papel fundamental de fornecer significados numdomínio ontológico. Adicionalmente, conforme afirma Smith (1999), observou-se queas metáforas elaboradas parecem seguir uma trajetória espaço-temporal condizentecom as mudanças institucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pimentel, T. D., Carrieri, A. de P., Pimentel, M. P. C., & Brito, M. J. de. (2011). “Da basílica à feira. do oásis ao Shoppingleu”: a trajetória das metáforas do Jubileu em Congonhas (MG). Revista De Administração Pública, 45(1), 45 a 66. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/6982
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>