Determinantes da inovação nas empresas estatais: evidência para as empresas públicas no Equador

Conteúdo do artigo principal

Anderson Argothy
Nuria González Álvarez

Resumo

Os estudos de inovação atualmente não levam em conta e tendem a ignorar a inovação nas empresas públicas (EP) e seus efeitos sobre outras organizações. Evidências recentes mostram que as EP não são necessariamente inferiores às empresas privadas (Kowalski et al., 2013). Este artigo investiga pela primeira vez através de um estudo empírico os determinantes da inovação em EP no Equador. Identifica os determinantes internos e externos da inovação e seu efeito sobre a probabilidade de inovação no EP. Além disso, a variável cuidado ambiental é incluída como um determinante interno; esta variável não foi analisada em estudos anteriores sobre a inovação em EP. Os dados são da pesquisa de atividades de ciência, tecnologia e inovação do Equador (ACTI), publicado em 2014. O modelo proposto é avaliado por meio de uma regressão linear de tipo logit. Os resultados mostram que existem determinantes que têm efeito positivo sobre a probabilidade de inovação e são de dois tipos: internos (funcionários, treinamento, aquisição de tecnologia e cuidado ambiental) e externos (governo, mediante o apoio para gestão de qualidade).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Argothy, A., & Álvarez, N. G. (2018). Determinantes da inovação nas empresas estatais: evidência para as empresas públicas no Equador. Revista De Administração Pública, 53(1), 45–63. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/77797
Seção
Artigos