A falta de trabalho institucional e mudanças organizacionais incompletas em municípios brasileiros

Conteúdo do artigo principal

André Feliciano Lino
Luciano Bastos de Carvalho
André Carlos Busanelli de Aquino
Ricardo Rocha de Azevedo

Resumo

Este artigo propõe um modelo para explicar falhas na adoção compulsória de novas práticas no ciclo de gestão financeira em municípios. Empiricamente, aplica-se o modelo à adoção de sistemas de controle interno (SCI) em municípios brasileiros. As evidências da análise qualitativa comparada (qualitative comparative analysis — QCA) em sete prefeituras mostram que, apesar de recursos humanos e de sistemas serem condição necessária, eles não são suficientes para a implementação das práticas de controle interno. O chamado capital institucional é uma condição sine qua non para a adoção de novas práticas de administração e controle financeiro em governos locais no Brasil. A adoção dessas reformas depende da atuação de uma rede de “atores com poder” que realizam trabalho institucional em prol das mudanças. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Lino, A. F., Carvalho, L. B. de, Aquino, A. C. B. de, & Azevedo, R. R. de. (2019). A falta de trabalho institucional e mudanças organizacionais incompletas em municípios brasileiros. Revista De Administração Pública, 53(2), 375–391. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/78503
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>