A Casa de Máquinas da administração pública no enfrentamento à COVID-19

Conteúdo do artigo principal

Fernando de Souza Coelho
Victor Corrêa
Rafael Lincoln Lisboa
Sibelly Resch

Resumo

O enfrentamento à COVID-19 no Brasil demanda estratégias e ações integradas e articuladas entre as três esferas de governo e seus diversos setores de políticas públicas para prestar serviços públicos essenciais e ofertar programas governamentais emergenciais. Para que essas ações públicas alcancem os cidadãos-usuários, as áreas-meio da administração pública, consideradas – metaforicamente – neste artigo como a Casa de Máquinas, entram em operação. Sob o prisma dessa dimensão intraorganizacional, este trabalho objetiva descrever e analisar as funções administrativas no ajuste do serviço funerário – elo final da cadeia de combate ao coronavírus em qualquer cidade. O locus empírico é o serviço funerário do município de São Paulo, escolhido pela sua magnitude e por ser monopólio do setor público. Usando-se da análise documental e da realização de entrevistas com gestores públicos locais, o artigo joga luz no back office pelas funcionalidades de finanças, recursos humanos, processos e tecnologia da informação (TI), compras e contratos, logística e operações, e comunicação/marketing, evidenciando as engrenagens das organizações públicas no contexto da crise sanitária e contribuindo para a reflexão sobre os pontos-chave que devem ser considerados em distintas realidades, ainda que com as limitações de uma análise de um processo em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Coelho, F. de S., Corrêa, V., Lisboa, R. L., & Resch, S. (2020). A Casa de Máquinas da administração pública no enfrentamento à COVID-19. Revista De Administração Pública, 54(4), 839–859. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/81886
Seção
Estratégias de enfrentamento da pandemia adotadas