Smart cities e pandemia: tecnologias digitais na gestão pública de cidades brasileiras

Conteúdo do artigo principal

Tharsila Maynardes Dallabona Fariniuk

Resumo

A pandemia da COVID-19 vem afetando o modo de vida nas cidades. Em alguns países – como o Brasil – a curva epidemiológica cresce significativamente, exigindo respostas rápidas da administração pública. Esta pesquisa, conduzida em abril de 2020, visa caracterizar a utilização de ferramentas digitais na adaptação das cidades brasileiras à pandemia, baseada no conceito de smart city. Para tanto, buscou-se traçar um panorama da adoção de ferramentas digitais pela administração pública nas cem maiores cidades brasileiras, como resposta aos desafios impostos pela situação pandêmica, contribuindo para efetivar o isolamento ou para adaptar o funcionamento de atividades. Os resultados indicam a aplicação de tais estratégias em 83% das cidades pesquisadas, segundo a distribuição geográfica de casos da doença confirmados. A concentração das iniciativas sugere que a adoção da tecnologia acompanha a previsão da curva de infecção, e aponta para a tendência de adoção das estratégias em locais de contexto historicamente favorável à inovação. Característica fundamental das cidades inteligentes, o recurso à tecnologia digital na otimização dos serviços indica que as cidades pesquisadas estão, em algum nível, seguindo uma tendência mundial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Fariniuk, T. M. D. (2020). Smart cities e pandemia: tecnologias digitais na gestão pública de cidades brasileiras. Revista De Administração Pública, 54(4), 860–873. Recuperado de https://periodicos.fgv.br/rap/article/view/81887
Seção
Estratégias de enfrentamento da pandemia adotadas