Gerenciamento de resultados e ciclo eleitoral em municípios brasileiros

Conteúdo do artigo principal

Fábio Moraes da Costa
https://orcid.org/0000-0002-2098-4006
Fernando Henrique Ferreira Carneiro Leão
https://orcid.org/0000-0001-8636-8129

Resumo

O regime de competência tem sido gradualmente implementado no setor público brasileiro, ampliando o uso de estimativas para sua aplicação. Apesar de ter o objetivo de contribuir para a tomada de decisão, sabe-se que julgamentos também podem ser empregados para gerenciar a percepção sobre a performance. Assim, este estudo tem como objetivo avaliar a relação entre o ciclo eleitoral e a prática de gerenciamento de resultados nos municípios brasileiros. Os testes de análise da distribuição de frequência indicam que há descontinuidade em torno do resultado nulo, além de uma relação positiva entre o nível de gerenciamento de resultados e a probabilidade de o município apresentar um superávit logo acima de zero (“pequeno superávit”). Também foi evidenciado o aumento dos níveis de gerenciamento em períodos pré-eleitorais, bem como ambientes de maior nível de competição política. Portanto, há evidências de práticas de gerenciamento de resultados em função do ciclo eleitoral. O trabalho pretende suprir um pouco da falta de informação sobre o tema no setor público, bem como da identificação de padrões de comportamento oportunista por parte dos gestores locais brasileiros e sua inter-relação com os ciclos eleitorais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Costa, F. M. da, & Leão, F. H. F. C. (2021). Gerenciamento de resultados e ciclo eleitoral em municípios brasileiros. Revista De Administração Pública, 55(3), 697–715. https://doi.org/10.1590/0034-761220200112
Seção
Artigos

Referências

Akhmedov, A., & Zhuravskaya, E. (2004). Opportunistic political cycles: test in a young democracy setting. The Quarterly Journal of Economics, 119(4), 1301-1338.

Baber, W., & Sen, P. (1986). The political process and the use of debt financing by state governments. Public Choice, 48(3), 201-15.

Barea, T. J. (1994). El Nuevo Plan General de Contabilidad Pública. Revista Española de Financiación y Contabilidad, 29, 335-358.

Buchanan, J., & Tullok, G. (1962). The calculus of consent Ann Arbor, Michigan: University of Michigan Press.

Burghstahler, D. C., & Dichev, I. (1997). Earnings management to avoid earnings decrease and losses. Journal of Accounting and Economics, 24(1), 99-126.

Coelho, C. (2004). Ciclos político-econômicos e o poder local Braga, Portugal: Universidade do Minho.

Conselho Federal de Contabilidade. (2016). Resolução 2016/NBCTSPEC. Norma Brasileira de Contabilidade - NBC TSP Estrutura Conceitual Recuperado de https://www2.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=2016/NBCTSPEC&arquivo=NBCTSPEC.doc

Dechow, P., & Dichev, I. D. (2002). The quality of accruals and earnings: the role of accrual estimation errors. The Accounting Review, 77, 35-59.

Dechow, P., Ge, W., & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: a review of the proxies, their determinants and their consequences. Journal of Accounting and Economics, 50, 344-401.

Dechow, P., Richardson, S. A., & Tuna, I. (2003). Why are earnings kinky? An explanation of the earnings management explanation. Review of Accounting Studies, 8, 355-384.

Dechow, P., Sloan, R. G., & Sweeney, A. P. (1995). The Accounting Review, 70, 193-225.

Drazen, A., & Eslava, M. (2005). Electoral manipulation via voter-friendly spending: theory and evidence Recuperado de http://www.tau.ac.il/*drazen/pbccomp_6292005_ad.pdf

European Federation of Accountants. (2003). The adoption of accrual accounting and budgeting by governments Recuperado de http://www.accountancyeurope.eu/publications/the-adoption-of-accrual-accounting-and-budgeting-by-governments-central-federal-regional-and-local/

Ferreira, A., Carvalho, J., & Pinho, F. (2013). Earnings management around zero: a motivation to local politician signalling competence. Public Management Review, 15(5), 657-686.

Ferreira, F. R., & Costa, F. M. (2011). Gerenciamento de resultados e “nova gestão pública”: evidências nos departamentos governamentais australianos. InAnais do 5º Congresso da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Vitória, ES.

García, F. M. (2014). Developments and challenges in public sector accounting. Journal of Public Budgeting, Accounting & Financial Management, 26, 345-366.

Gonçalves, L. G., Funchal, B., & Bezerra, J. E Filho., . (2015). A influência dos ciclos políticos nos investimentos públicos em infraestrutura: um estudo nos estados brasileiros no período de 2003 a 2014. Revista de Administração Pública, 51(4), 462-481.

Healy, P. M. (1985). The effect of bonus schemes on accounting decisions. Journal of accounting and economics, 7, 85-107.

Healy, P. M., & Wahlen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, 13(4), 365-383.

Hepwort, N. (2003). Preconditions for successful implementation of accrual accounting in central government. Public Money & Management, 23, 37-43.

International Monetary Fund. (2014). Government Finance Statistics Manual Washington, DC: Autor.

International Public Sector Accounting Standards Board. (2016). Handbook of International Public Sector Accounting Pronouncements New York, NY: Autor.

Jones, J. (1991). Earnings management during import relief investigations. Journal of Accounting Research, 29, 193-228.

Kothari, S. P., Ramana, K., & Skinner, D. J. (2010). Implications for GAAP from an analysis of positive research in accounting. Journal of Accounting and Economics, 50, 246-286.

Laakso, M., Taagepera, R. (1979). “Effective” number of parties - a measure with application to West Europe. Comparative Political Studies, 12(1), 3-27.

Leary, M. R., Kowalski, R. M. (1990). Impression management: a literature review and two-component model. Psychological Bulletin, 107, 34-47.

Lei Lei Complementar n.º 101, de 4 de maio e 2000 (2000). Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm

Lei Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964 (1964). Estatui normas gerais de direito financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da união, dos estados, dos municípios e do distrito federal. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4320.htm

Mcnichols, M. F. (2000). Research design issues in earnings management studies. Journal of Accounting and Public Policy, 19, 313-345.

Mcnichols, M. F; & Wilson, G. P. (1988). Evidence of earnings management from de provisions for bad debts. Journal of Accounting Research, 26, 1-31.

Mota, F. G. L. (2015). Contabilidade aplicada ao setor público: aspectos patrimoniais - identificação, reconhecimento, mensuração e evidenciação Brasília, DF: Autor.

Nakaguma, M., & Bender, S. (2006). A emenda da reeleicão e a Lei de Responsabilidade Fiscal: impactos sobre ciclos políticos e performance fiscal dos estados (1986-2002). Economia Aplicada, 10(3), 377-97.

Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico. (2017). Accrual pratices and reform experiences in OECD countries Paris, France: Autor. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1787/9789264270572-en

Pilcher, R., & Zahn, J. L. W. M. V. (2008). Earnings management and income distribution around a “breakeven or near breakeven surplus” benchmark with the public sector. In Proceedings of 2008 Afaanz Annual Conference, Sydney, Australia.

Portaria Portaria nº 184 de 25 de agosto de 2008 (2008). Dispõe sobre as diretrizes a serem observadas no setor público (pelos entes públicos) quanto aos procedimentos, práticas, elaboração e divulgação das demonstrações contábeis, de forma a torná-los convergentes com as Normas Internacionais de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público. Recuperado de http://www.fazenda.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/portarias-ministeriais/2008/portaria184

Portaria Portaria nº 548 de 24 de setembro de 2015 (2015). Dispõe sobre prazos-limite de adoção dos procedimentos contábeis patrimoniais aplicáveis aos entes da Federação, com vistas à consolidação das contas públicas da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, sob a mesma base conceitual. Recuperado de http://www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/0/Portaria+STN+548+2015+PIPCP/73e5e615-ccbe-4050-bfc3-a9356d35daf1

Preussler, A., Portugal, M. (2003). Um estudo empírico dos ciclos político-econômicos no Brasil. Análise Econômica, 21(40), 179-205.

Przeworski, A., Stokes, S. C., & Manin, B. (1999). Democracy, accountability and representation Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Secretaria do Tesouro Nacional. (2017). Manual de contabilidade aplicada ao setor público aplicado à União e aos Estados, Distrito Federal e Municípios (7a ed.). Brasília, DF: Autor .

Silva, V. L. (2012). A nova contabilidade aplicada ao setor público: uma abordagem prática São Paulo, SP: Atlas.

Wynne, A. (2007, October). Is the move to accrual base accounting a real priority for public sector accounting? Public Fund Digest, 6(1), 1-32.

Zimmerman, J. (1977). The municipal accounting maze: an analysis of political incentives. Journal of Accounting Research, 15, 107-44.