Idort and Management diffusion in 1930s Brazil

Main Article Content

Fábio Vizeu

Abstract

Management in Brazil has been considered from different theoretical and analytical perspectives. Some seek to reveal its relationship with Anglo-Saxon thought, which is the original constitution of this body of knowledge and organizational practice and highlights the importance of historical Management research. Therefore, this study examines how the importation of Management doctrines and its diffusion through the creation of Idort was marked by a turbulent scenario of political and ideological disputes, which became the substrate for the consolidation of practices that determined the institutional locus of Management in Brazil in the following decades.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Article Details

How to Cite
VIZEU, F. Idort and Management diffusion in 1930s Brazil. RAE - Revista de Administracao de Empresas , [S. l.], v. 58, n. 2, p. 163–173, 2018. DOI: 10.1590/S0034-759020180205. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/rae/article/view/74644. Acesso em: 19 jun. 2024.
Section
Articles

References

Alcadipani, R., & Bertero, C. O. (2012). Guerra fria e ensino do management no Brasil: O caso da FGV-EAESP. RAE-Revista de Administração de Empresas, 52(3), 284-299. doi:10.1590/S0034- 75902012000300002

Alcadipani, R., & Bertero, C. O. (2014). Uma escola norte-americana no Ultramar? Uma historiografia da EAESP. RAE-Revista de Administração de Empresas, 54(2), 154-169. doi:10.1590/S0034-759020140204

Amaral, P. F. (1961). Trinta anos de atividades no campo da organização científica. Revista de Organização Científica do IDORT, 30(353/354), 5-26.

Barros, A. (2014). Uma narrativa sobre os cursos superiores em administração da Face/UFMG: Dos primeiros anos à sua unificação em 1968. Cadernos EBAPE.BR, 12(1), 7-25.

Barros, A. (2017). Antecedentes dos cursos superiores em administração brasileiros: As escolas de comércio e o curso superior em administração e finanças. Cadernos EBAPE.BR, 15(1), 88-100.

Barros, A. N., & Carrieri, A. P. (2013). Ensino superior em administração entre os anos 1940 e 1950: Uma discussão a partir dos acordos de cooperação Brasil-Estados Unidos. Cadernos EBAPE.BR, 11(2), 256-273

Bertero, C. O. (2006). Ensino e pesquisa de administração. São Paulo, SP: Thomson Learning. Burke, P. (1992). A escrita da história. São Paulo, SP: Editora Unesp.

Cardoso, F. H. (1972). Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil (2a ed.). São Paulo, SP: Difusão Europeia do Livro.

Chandler, A. D. (1977). The visible hand: The managerial revolution in American business. Cambridge, USA: Harvard University Press.

Codato, A. (1997). O departamento administrativo do estado de São Paulo na engenharia do Estado Novo. Revista de Sociologia e Política, 9, 115-127.

Dean, W. (2001). A industrialização de São Paulo: 1880-1945 (4a ed.). São Paulo, SP: Bertrand Brasil.

Faoro, R. (2001). Os donos do poder (3a ed.). São Paulo, SP: Globo.

Jenks, L. (1960). Early phases of the management movement. Administrative Science Quarterly, 5(3), 421-447. doi:10.2307/2390664

Leopoldi, M. A. (2000). Política e interesses na industrialização brasileira. São Paulo, SP: Paz e Terra.

Luz, N. V. (1975). A luta pela industrialização no Brasil. Rio de Janeiro, RJ: Alfa-Ômega.

Marcovitch, J. (2005). Pioneiros e empreendedores: A saga do desenvolvimento no Brasil (2 vols.). São Paulo, SP: Edusp/Saraiva.

Martins, C. E. (1974). Tecnocracia e capitalismo: A política dos técnicos no Brasil. São Paulo, SP: Brasiliense.

Pereira, L. C. B. (1974). Empresários e administradores no Brasil. São Paulo, SP: Brasiliense.

Pinheiro, P. (1977). Política e trabalho no Brasil. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Skidmore, T. (1998). Uma história do Brasil. São Paulo, SP: Paz e Terra.

Vizeu, F. (2010). Potencialidades da análise histórica nos estudos organizacionais brasileiros. RAE-Revista de Administração de Empresas, 50(1), 37-47. doi:10.1590/S0034-75902010000100004

Vizeu, F. (2011). Rural heritage of early Brazilian industrialists: Its impact on managerial orientation. Brazilian Administration Review, 8(1), 68-85. doi:10.1590/S1807-76922011000100006

Wahrlich, B. M. (1983). A reforma administrativa da era de Vargas. Rio de Janeiro, RJ: Fundação Getulio Vargas.

Wanderley, S. (2016). Iseb, uma escola de governo: Desenvolvimentismo e a formação de técnicos e dirigentes. Revista de Administração Pública, 50(6), 913-936. doi:10.1590/0034-7612150061